Arquivos de sites

Professores da Uniso lançam livro sobre comunicação

Notícia publicada na edição de 14/03/14 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 005 do caderno C – o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

Por Maíra Fernandes  maira.fernandes@jcruzeiro.com.br

Temas da contemporaneidade como o uso das redes sociais, o trânsito nas cidades, a arte urbana, entre outros que fazem parte da vida cotidiana das pessoas, constam no livro Cidade e comunicação: a miopia sobre o mundo e outros textos, que os professores da Universidade de Sorocaba (Uniso), Thífani Postali e Paulo Celso da Silva lançam amanhã, no Chalé Francês. A entrada é gratuita.

O livro, que sai pela Paco Editorial, é um compilado de textos que foram publicados no jornal Cruzeiro do Sul, mesclados a uma produção inédita dos professores, e trazem a cidade e a comunicação como proposta central do debate que abre várias frentes de discussões: No trânsito somos todos estrangeiros; Manifesto para manifestar-se e A força do capital erótico; por exemplo, são alguns dos títulos de autoria de Paulo Celso da Silva no livro. Já O facebook e os muros das grandes cidades; Além das campanhas da Coca-Cola e O hip hop mudou a minha vida, foram os textos produzidos por Thífani e constam nessa seleção que conta com mais de 30 títulos.

O nome do livro foi inspirado em um dos artigos produzidos em conjunto, A miopia sobre o mundo e do outro, uma metáfora sobre a impossibilidade de se enxergar a realidade com clareza, diante de tantas informações. “Daí a proposta de lançar uma nova visão sobre o mundo, em especial, sobre os assuntos que permeiam a vida em sociedade”, defende Thífani. Mestre em comunicação e cultura, é ela também quem explica a naturalidade da opção em lançarem uma obra juntos, já que sua produção de artigos sempre esteve vinculada ao Paulo Celso, doutor em geografia humana e que foi seu professor na graduação e orientador no mestrado. “Desde essa época (2009), peço orientações, opiniões e debato os assuntos com ele. A obra materializa essa produção em conjunto, pois parte dos artigos possuem o olhar de ambos”, conta. Além da academia, os professores também têm em comum o gosto pela música e, no lançamento de logo mais, o público poderá conferir uma performance musical dos dois também.

Leve mas intenso

“A ideia é fazer com que as reflexões saiam do círculo acadêmico e alcancem outros públicos. O retorno é gratificante, pois recebo comentários e ampliações das reflexões por e-mail, redes sociais e até publicações em blogs diversos, de pessoas que leram e se identificaram com o conteúdo”, fala Thífani, sobre a experiência com a produção de textos menos acadêmicos, mas não menos questionadores, e escritos de forma sucinta, bem menores e mais objetivos do que as costumeiras produções acadêmicas.

“O texto mais conciso é também mais dinâmico, rápido. Faz com que a ideias sejam recebidas com uma velocidade diferente pelo leitor. E ele responde nessa velocidade também, usando o site do jornal, os e-mails que constam nas matérias. Diferente de um livro que primeiro passa pela editora”, defende também Paulo Celso.

Sobre essa questão, a também professora da Uniso, Míriam Cris Carlos que é quem assina o prefácio da obra, reforça que os textos até podem parecer leves, mas são reflexos de pesquisas de fôlego de ambos. “Paulo Celso da Silva e Thífani Postali, neste livro, materializam aquilo que considero como papel fundamental da academia, a construção colaborativa do conhecimento, da crítica, de olhares múltiplos sobre o universo que nos cerca e, especialmente, sobre as realidades que nos chegam, recortadas pelas mídias. Eles nos fazem lembrar que os meios de comunicação oferecem realidades parciais, signos e aspectos de culturas multifacetadas, por nós assimilados e reproduzidos sem que compreendamos devidamente”, defende Míriam sobre o trabalho dos professores que responderam às questões do jornal Cruzeiro do Sul que seguem abaixo:

Entrevista

Paulo Celso, de acordo com seus textos sobre as cidades, gostaria de saber qual seu olhar sobre Sorocaba, e a importância de incitar no outro esse olhar?

Paulo Celso: A cidade é um grande texto para ser lido e relido no cotidiano. Toda alteração, por pequena que seja, altera tal leitura. Sorocaba tem características bastante interessantes para observar, estudar e socializar ideias. Sempre que ouço alguém falar : “quando chegarmos a um milhão de habitantes…” , fico imaginando que dificuldades toda essa gente terá para viver e conviver nos espaços da cidade. Precisamos desenvolvimento, em todos os níveis, e não crescimento. Se na Alemanha diziam, na idade média, que “o ar da cidade liberta”, queremos esse ar para Sorocaba. Mas isso é uma construção diária de todos nós.

Thífani, suas pesquisas são retratadas no livro como uma tentativa de leitura da contemporaneidade. Qual sua leitura desse momento, principalmente da comunicação que vem das periferias da cidade, sob a forma de música, grafite e manifestações a partir das redes sociais?

Thífani Postali: A vida em sociedade apresenta discursos diversos entre os grupos considerados dominantes e dominados. Os discursos dominantes ocupam os principais veículos de comunicação, definindo aquilo que deve ou não ser dito. Logo as nossas referências sobre o que é certo ou errado, bonito ou feio, o que vale e o que não vale, vem de um conjunto ideológico pré-estabelecido, não restando meios para que discursos diferentes ocupem o mesmo canal. Desta forma, os grupos dominados procuram outras formas de comunicar seus anseios, suas ideias e vontades, e é por meio das manifestações culturais que conseguimos obter acesso a essas informações, seja num discurso de rap, num grafite, frases pichadas e até a marcação de nomes e símbolos que tem como função marcar o território urbano e mostrar ser parte desse universo. Essas manifestações, principalmente as que apresentam discursos críticos-sociais, têm sua importância em estabelecer outro olhar sobre a vida em sociedade, de modo que dão “voz” aos grupos excluídos.

Qual o papel da mídia nessa leitura contemporânea do mundo? Como ser crítico mediante tantas informações ?

Paulo Celso: A informação é uma ferramenta muito importante para viver a urbanidade. Porém, é necessário que os que habitam essa urbe tenham seus próprios filtros, que sejam capazes de transformar tais informações em conhecimentos e ações, caso contrário é ruído e não traz benefícios. A crítica vem do constante exercício da reflexão, de propor perguntas para a realidade imediata, de buscar comparações entre o existente e o imaginado.

Serviço

O lançamento acontece amanhã, das 17h às 21h, no Chalé Francês, localizado na Praça Maylasky, Centro, em frente à Estação Ferroviária. A entrada é gratuita. A obra pode ser encontrada nos sites da Livrarias Cultura, Saraiva, além da Paco Editorial, com média de preço a R$ 38.

Imagem
Anúncios

Professores lançam livro no dia 15

Capa_Cidade_e_Comunicação_a_Miopia_2Notícia publicada no Úniso Notícias, de março/2013.

Um novo olhar sobre assuntos relacionados ao cotidiano do cidadão comum é a proposta do livro “Cidade e Comunicação: A miopia sobre o mundo e outros textos”, que está sendo lançado pelos professores Thífani Postali e Paulo Celso da Silva.

A obra reúne material veiculado em diversas publicações, como o Jornal Cruzeiro do Sul, e outros textos inéditos. Alguns artigos se detêm sobre a realidade do cidadão sorocabano e abordam temas como música, arte, turismo, publicidade e política. “Escolhemos assuntos do cotidiano para nossa reflexão. O livro também sai do círculo acadêmico ‘natural’ para chegar a outros públicos”, afirma Paulo, que é Doutor em Geografia e Coordenador do Mestrado em Comunicação e Cultura da Uniso.

A referência à miopia, no título, é uma metáfora sobre a impossibilidade de se enxergar a realidade com clareza, daí a proposta do livro, de lançar uma nova visão sobre o mundo. “Os temas são tratados na perspectiva da comunicação e da cultura. Desta forma, procuramos apresentar outro modo para se pensar um mesmo assunto”, destaca Thífani, Mestra em Comunicação e Cultura.

O lançamento será no dia 15 de março, das 17h às 20h, no Chalé Francês, localizado na Praça Maylasky, Centro, em frente à Estação Ferroviária.

Link: http://www.uniso.br/noticias/NotCompleta.aspx?noticia=3911
.

Cidade e Comunicação: a miopia sobre o mundo e outros textos

Capa_Cidade_e_Comunicação_a_Miopia_2

A presente obra tece diversas reflexões sobre um conjunto amplo de assuntos,
todos referentes ao cotidiano do cidadão comum – algumas vezes, com foco no
cidadão sorocabano. Nesse sentido, os autores inovam ao assumirem um papel
investigativo, questionador e crítico a respeito da realidade que nos cerca,
tratando de temas como música, arte, turismo, publicidade e política. Trata-se
de um livro enriquecedor, indicado a um vasto público.

 

Lojas virtuais:
Saraiva: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/6735215

Paco Editorial: http://loja.livrariadapaco.com.br/cidadeecomunicacao.html

Ficha detalhada:

I.S.B.N.: 9788581483689

Cód. Barras: 9788581483689

Reduzido: 6735215

Altura: 21 cm.

Largura:
14 cm.

Profundidade: 0,8
cm.

Acabamento : Brochura

Edição : 1 / 2013

Idioma
: Português

Número de Paginas : 168

Divulgação da obra – Folha de Campinas

Publicado em 07/1/14 • Categoria – Let’s Play
POR: J. PETTERMAN

Música, Galiza e Livros

O ano mal começou e as novidades estão à solta.

A primeira delas é a escolha de Santiago de Compostela, ( aquela do Caminho revelador que o Paulo Coelho percorreu ) para sede da Womex 2014– a maior feira de música independente do mundo .

A cidade fica na Galiza, norte da Espanha e local de nascimento da Língua Portuguesa. Sim, isso mesmo, falamos galego-português e não sabíamos e tem gente que vai para lá e acha que os galegos falam portunhol.  Está na hora de conhecer a história!!!

Compostela foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO pela arquitetura extraordinária e bem preservada de sua bela parte velha,  e tem sido um importante ponto de encontro de fé, de pensar e de intercâmbio cultural desde a Idade Média, refletida também pela sua prestigiada universidade fundada no século 15.

Situado no extremo ocidental da Europa do Sul, Santiago de Compostela é a capital da Galiza, famosa por suas colinas verdejantes e costa selvagem banhada pelo Oceano Atlântico; suas antigas tradições, sua língua nativa falada, da Galiza, a sua cozinha extraordinária – e, é claro, a sua música.

A feira ocorrerá de 22 a 26 de outubro, fique atento e se puder, vá!  http://www.womex.com/

Outra novidade é o lançamento do livro “A Miopia sobre o Mundo e outros Textos, dos acadêmicos da Universidade de Sorocaba, Thífani Postali e Paulo Celso da Silva. Em breve nas melhores prateleiras do ramo.

E outro lançamento que não traz tanta novidade assim é o “Beatles em tudo“,  do jornalista e editor do blog Beatles College ,  João Resende. Os fã(naticos) beatlemaníacos não vão achar nada de novo, mas as novas gerações podem garimpar e descobrir que muita coisa ainda gira em torno dos 4 rapazes de Liverpool, mesmo 40 anos depois de extinta a banda.

Rick Furlani, o guitarrista rock de Campinas está de malas e guitarras prontas para embarcar para os EUA, onde tocará na Feira NAMM SHOW, de Los Angeles. Os gringos terão a chance de ouvir em primeira mão o novo CD “FUZZ UP,que contou com participações muito especiais como o renomado baixista Philip Bynoe (Steve Vai, Kevin Eubanks and The Tonight Show Band, Dorian Holley (Michael Jackson), Slash, Charlie Farren, e Tony MacAlpine) e do baterista Sandro Feliciano (EUA). Compre o disco e curta o rock instrumental!

Rick Furlani está em busca de lugares para tocar! Atenção SESC, Secretarias de Culturas e Espaços Culturais!  http://www.rickyfurlani.com/fuzzup/

Na linha rock and roll, estão abertas as inscrições para o Grito Rock 2014 – por enquanto são inscrições para produtores e espaços culturais, em breve os músicos poderão concorrer a uma vaga (apesar de nunca ter cachê! Quem não tiver boleto a pagar, boa sorte) . O site Toque no Brasil está pilotando www.tnb.art.br

Tome Notícia

– O famoso quadrinista, criador do Tintin, HERGÉ, chega com “As diabruras de Quick e Flupke”, criados em 1949 e que viraram desenho animado em 1980. Pela Globo Graphics por R$ 39,90.

– Estão abertas as inscrições para as atividades artísticas culturais das Oficinas Culturais do Estado de São Paulo que serão realizadas  em 15 cidades do interior e também na capital. As atividades são gratuitas e acontecem de janeiro a março. mais: http://oficinasculturais.org.br/index.php

– Campanha de Popularização do Teatro, em Campinas até o final de janeiro. É a 29ª edição, quase grátis e com muita qualidade, veja a programação em http://www.campinas.sp.gov.br/noticias-integra.php?id=21705

J.Petermann é jornalista e escritor @jpetermann1

Link da matéria: http://www.folhadecampinas.com.br/portal/2014/01/let%C2%B4s-play-that-6/

.