Precisamos voltar a cozinhar

       Artigo publicado na Gazeta de Votorantim, em 22 de abril de 2017.

  A razão é a principal característica humana e é responsável por todas as transformações realizadas na natureza pela espécie. O ser humano é o único ser que manipula os alimentos de modo a criar novas combinações e formas para se alimentar. Com a dominação do fogo, o ser humano passou a transformar ainda mais os alimentos, de modo que o ato de cozinhar transformou-se em uma das expressões culturais mais importantes da humanidade, não se restringindo apenas ao ato de se alimentar, mas proporcionando a socialização entre os indivíduos.

            Para muitas culturas, o ato de almoçar e jantar tornou-se um ritual familiar de confraternização. Todavia, com a industrialização e as transformações sociais ocorridas após as revoluções, o crescimento das cidades, populações, tarefas durante o dia, distâncias entre os locais e com o alcance das mulheres ao mercado de trabalho, o ato de cozinhar perdeu alguns de seus significados, abrindo espaço para alimentos transgênicos e industrializados.

            Ocorre que muitas vezes desconhecemos o que estamos ingerindo, principalmente quando nos referimos aos produtos enlatados, que hora ou outra aparecem em escândalos sobre contaminações. Em decorrência dessas e de outras situações, muitas pessoas adoecem sem ao menos saber a causa de seu problema, pois por atender o capital, os veículos de comunicação pouco falam sobre as consequências dessa alimentação com produtos processados ou modificados.

            Obviamente, sabemos que com o ritmo desse modelo social, torna-se impossível não se deparar vez ou outra com esse tipo de alimento. A questão é que devemos voltar a achar graça nas verduras não tão apresentáveis, diferentes daquelas que se assemelham aos enfeites de plástico da cozinha; o mesmo cabe aos legumes, às frutas etc. Devemos, quando possível, voltar a achar graça na cozinha como forma de reunir a família e os amigos e, assim, reunir os companheiros para compartilhar o pão! Desta forma, quem sabe, resistiremos de modo saudável aos alimentos avassaladores do mercado industrial, resgatando o que há de mais importante na vida humana: saúde e sociabilidade. Homens, mulheres, crianças, jovens: cozinhem!

Gazeta de Votorantim abril 2017- recorte.png

Posted on 24 de Abril de 2017, in Sem categoria, Textos em jornal and tagged . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: